Com a pandemia de Covid-19 e a flexibilização econômica no estado de São Paulo, quem costuma viajar está cheio de dúvidas sobre os protocolos que serão adotados em setores do turismo paulista. O São Paulo Interior já mostrou aqui como será a estadia em hotéis e pousadas com a reabertura gradual, agora tivemos acesso às informações sobre um dos mais conceituados parques aquáticos do interior de SP, o Hot Beach, em Olímpia.

Atualmente classificada como na Fase 3, a Estância Turística de Olímpia está iniciando a flexibilização das suas atividades. Na expectativa da reabertura dos resorts e do parque aquático, o Complexo Turístico Hot Beach Olímpia já finalizou o Protocolo de Segurança Sanitária. Trata-se de um manual que prevê uma série de procedimentos que visa minimizar o risco de contágio pelo coronavírus por turistas e colaboradores.

Para o parque aquático Hot Beach, que é um espaço ao ar livre, o Protocolo de Segurança Sanitária prevê a reabertura com 30% de sua capacidade total e aumento gradual da lotação permitida; medição da temperatura de colaboradores e turistas; higienização redobrada dos objetos e superfícies; substituição do buffet pelo sistema à la carte; orientação aos turistas para distanciamento social nas piscinas e demais áreas; equipe médica orientada para atender e encaminhar paciente com qualquer alteração de temperatura, entre outros procedimentos.

Desde o início da pandemia, a diretoria do Grupo Ferrasa, empresa gestora do Complexo Turístico Hot Beach, discutiu a nova realidade com entidades de classe, como o Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat) e a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (Adibra). Fruto desta proximidade, o Hot Beach Olímpia integrou o comitê que desenvolveu os protocolos para reabertura das operações de parques e atrações, um trabalho conjunto do Sindepat e da Adibra. O documento, que reúne informações a fim de proteger a saúde de funcionários e visitantes, e, assim, retomar a operação sob os mais altos padrões de segurança, foi entregue ao governo do Estado de São Paulo para integrar o plano de São Paulo para a retomada das atividades.