Cidades do litoral e do interior de SP fecharam o acesso de turistas para conter a propagação do Coronavírus no Estado de São Paulo.

As rodovias Rio-Santos, Tamoios e Oswaldo Cruz, que dão acesso ao litoral, estão com bloqueios. Só veículos de emergência, prestadores de serviços essenciais e moradores de cidades da região, como São Sebastião, Ubatuba e Caraguatatuba, são liberados para seguir viagem. Os bloqueios são temporários e têm como objetivo conter o avanço do Coronavírus em São Paulo.

No litoral sul, os acessos a Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe pela rodovia Padre Manoel da Nóbrega (SP-55) foram bloqueados com barreiras de concreto.

O interior paulista e outras cidades do litoral estão com acessos bloqueados pelas prefeituras. Em Ilhabela, a prefeitura ampliou as restrições de acesso por meio das balsas também para moradores locais e de São Sebastião. Saída ou entrada da ilha devem ser requeridas com uma hora de antecedência, com justificativa do motivo.

No interior, as rodovias SP 191, SP 304 e Estrada Estadual Elísio de Paula Teixeira, vias de acesso para São Pedro estão parcialmente interditadas.

Com a decisão, a entrada no município fica permitida apenas para veículos de emergência e de locomoção de atendimento médico; transporte e abastecimento de suprimentos; de prestação de serviços essenciais, que comprovadamente estejam em trânsito com destino a outras cidades; que comprovem residência fixa na cidade de São Pedro, Águas de São Pedro e Santa Maria da Serra; que comprovem atividade comercial em São Pedro, Águas de São Pedro e Santa Maria da Serra e de casos reconhecidos imprescindíveis pelo município, por meio de autorização específica.

A decisão também proíbe o acesso a São Pedro de visitantes temporários, ainda que possuam imóvel de veraneio e/ou lazer no município.

Em Campos do Jordão, o comércio está fechado e os hotéis e pousadas não recebem hóspedes desde o dia 20. A medida pode ser revista a qualquer tempo, mas a princípio vale até o dia 19 de Abril.

Em Serra Negra, equipamentos turísticos, como Monumento ao Cristo Redentor, represas Adib João Dib (Santa Lídia) e Dr. Jovino Silveira (Barragem), Alto da Serra, Fonte Santo Agostinho entre outros também estão fechados. Está proibida também a circulação de vans, ônibus, micro-ônibus e todo e qualquer tipo de transporte de passageiros no município, com exceção do transporte público urbano, intermunicipal e táxis. Hotéis, pousadas, chalés e similares estão fechado. O prazo do decreto se encerra em 3 de abril, podendo ser prorrogado de acordo com a evolução do cenário epidemiológico.

Em Socorro, decreto da prefeitura suspendeu a atividade turística com o fechamento de comércios não essenciais e da rede hoteleira. A medida vale, inicialmente, até o dia 3 de abril.

A prefeitura de Itatiba determinou a instalação de 22 barreiras de concreto nos acessos à cidade. Em nove barreiras, estavam sendo usados termômetros infravermelhos para detectar pessoas com sintomas do coronavírus. Pessoas com temperatura acima de 37,8 graus tinham o acesso negado ou eram colocadas em quarentena.

A prefeitura de Itápolis proibiu entrada, saída e permanência de ônibus e vans de excursão e também bloqueou os acessos.

Em Miguelópolis, os três acessos à cidade foram bloqueados com cones e os turistas são impedidos de passar. A prefeitura fechou a praia fluvial, as marinas do Rio Grande e ‘convidou’ os turistas a deixarem a cidade, sob pena de multa de R$ 1,2 mil.

Em Santo Antônio do Pinhal, além de restringir o acesso de visitantes, a prefeitura mandou retirar todos os bancos das praças da cidade.