O São Paulo Interior desbravou o sul do estado em busca das belezas tão comentadas do Vale do Ribeira. A região é famosa nacionalmente pela grande quantidade de cavernas, que passam de 400. A maior parte delas está no PETAR (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira), localizado entre as cidades de Iporanga (a Capital das Cavernas) e Apiaí. O PETAR é a maior reserva de mata atlântica do estado de São Paulo e recebe turistas diariamente. Para entrar, é preciso estar de calça, camiseta e usar bastante repelente. O ingresso custa R$ 14. Idosos, crianças menores de 12 anos e professores das redes públicas municipal e estadual não pagam. Estudantes pagam meia.
Mirante de onde é possível avistar o PETAR
Chagamos ao parque às 8h, já que o aconselhável é chegar logo na abertura, porque as visitas às cavernas são agendadas. A contratação de um guia é fundamental, até porque não se entra sozinho naquelas grandes cavernas do PETAR. O São Paulo Interior esteve acompanhado do Leandro (instagram @leguiapetarcave), nosso parceiro na cidade. Com muito conhecimento da região, ele explicou sobre a formação das cavernas, curiosidades e nos orientou nas caminhadas, sempre com muito profissionalismo. O valor pago ao guia varia de acordo com a quantidade de pessoas e também com o serviço do profissional. Desconfie se o valor for baixo demais, até porque você pode não ter a mesma qualidade do serviço. Em média, para um grupo de 4 ou 5 pessoas, o valor da diária é de R$ 250. Dá para visitar o parque em um dia apenas, mas, se você puder, volte quantas vezes quiser, até porque há muito o que ser visitado por lá.
Ponte sobre o Rio Betari
Conhecemos o Núcleo Santana, que é o mais visitado do PETAR. Fomos apenas 1 dia e conhecemos a Caverna Santana, Caverna Morro Preto, Caverna do Couto e a Cachoeira do Couto, com sua piscina natural de água cristalina. Cada uma das cavernas tem suas peculiaridades. A Santana possui muitas esculturas naturais e lugares legais para fotografias. O passeio por ela é carregado de adrenalina, já que é necessário fazer travessias em pontes feitas com pedaços de madeira e subir escadas. Já a Caverna Morro Preto impressiona pela sua grandiosidade. Sua abertura mede 25 metros e quando se está lá dentro a impressão que se dá quando olhamos para o teto é que estamos no universo! Na Caverna do Couto, a caminhada é feita pisando em grandes pedras que ficam em um curso d’água. Algumas escorregadinhas são normais, mas nada que te machuque.
Caverna do Couto
Entrada da Caverna Morro Preto
 
 
Saindo da Caverna do Couto, tem a cachoeira, que é linda demais! O banho na água gelada revigora e também rende boas fotos.
Mais abaixo da cachoeira, se forma uma piscina natural no Rio Betari. Águas cristalinas te convidam para relaxar e esquecer por instantes os problemas do dia a dia.
Muitas outras cavernas e cachoeiras são abertas para visitação no PETAR, que é dividido em núcleos. Se você tiver tempo, dá para visitar outros lugares tão ou mais impressionantes do que esses que fomos. Para sua viagem ser perfeita, recomendamos contratar o guia com antecedência. Nosso guia Leandro está no Instagram e no Facebook.
Para relaxar depois da aventura, nada melhor do que ter uma pousada aconchegante e que também ofereça boas opções de lazer, principalmente para quem vai com a família para a região do PETAR. Ficamos na Gamboa Ecorefúgio, que possui piscinas, spa com hidromassagem, quartos amplos, um charmoso deck com vista para o Rio Ribeira de Iguape, sala de jogos e um lindo lago, onde é possível andar de caiaque e fazer Stand Up sem precisar pagar nada a mais por isso. Além de um delicioso café da manhã reforçado para os aventureiros, eles também vendem kit lanche para ser levado ao parque, já que lá no PETAR não existe restaurante.
Redes em frente aos quartos da Gamboa
 
Refeitório da Gamboa, de onde é possível ver o Rio Ribeira de Iguape
 
Lago com águas tranquilas para passeio de caiaque e Stand Up
A Gamboa Ecorefúgio é referência na cidade de Iporanga e não é por menos. Ficamos muito satisfeitos com o serviço oferecido e com a qualidade da estrutura. Crianças e adultos vão adorar também! Ah, não deixem de jantar na pousada, porque a comida é simplesmente divina 🙂 Não à toa, a Gamboa é muito bem avaliada nos sites especializados. E o preço é bem acessível! Visite o site deles: www.gamboaecorefugio.com.br para saber os preços.
Antes de ir embora, visitamos a Caverna do Diabo, na cidade de Eldorado, vizinha de Iporanga. Lá o ingresso inteiro, já com a contratação de guia, custa R$ 28. Também há valores diferenciados para crianças, estudantes e professores. Diferentemente do PETAR, não é necessário contratar o guia com antecedência, porque eles já ficam te esperando lá no parque da caverna.
A Caverna do Diabo é a mais famosa e a maior caverna do estado de São Paulo. A visita é bem tranquila porque toda a caverna é adaptada com escadas de alvenaria, corrimões, passarelas e iluminação artificial. Para quem nunca foi a cavernas, é uma boa começar por lá. Enquanto se acompanha o guia, a impressão que dá é que estamos em um museu. Ele vai mostrando as esculturas naturais e explicando sobre a formação da caverna. É um passeio de contemplação, enquanto que no PETAR é aventura e descobertas.
Entrada da Caverna do Diabo
O São Paulo Interior conclui que há opções para todos os gostos no Vale do Ribeira. Queríamos ter conhecido o Vale das Ostras, que fica ali por perto também, mas o tempo foi curto. Deixaremos para a próxima!
Agora é hora de você arrumar suas malas e ir para a região! Tenho certeza de que será uma das suas melhores viagens!

Quer ver vídeos da nossa visita? Entre no Instagram do São Paulo Interior e olhe nossos stories em destaque (GAMBOA – PETAR). Depois conte pra gente 🙂

Aqui está o vídeo que gravamos para nossos stories: