“O Rio de Piracicaba vai jorrar água pra fora/ Quando chegar a água dos olhos de alguém que chora”. Os versos imortalizados nas vozes de Tião Carreiro e Pardinho projetaram a cidade e o Rio de Piracicaba nacionalmente. Um dos mais importantes rios do nosso estado, o Piracicaba impressiona pela beleza e pelo volume de água que passa por ali. Estar próximo dele é mergulhar na história do nosso interior, já que sua importância para o desenvolvimento regional foi e continua sendo grande.

 

A cidade de Piracicaba oferece boa estrutura para quem quer observar o rio. Ali pertinho, às suas margens, fica a Rua do Porto, um complexo gastronômico que reúne restaurantes especializados em peixe. Você acha de tudo: filhote, salmão, pintado, tilápia, namorado. São muitas opções. A maioria dos estabelecimentos oferece o peixe por quilo, com valores que variam entre R$ 90 e R$ 130. De acompanhamentos, normalmente tem arroz, pirão, feijão, molhos, limão. Para quem não gosta de peixe, também tem carne. Mas sabemos que ir para a Rua do Porto e não comer peixe é como ir para Paris e não ver a Torre Eiffel. Vale a pena pelo menos experimentar! O peixe e os acompanhamos servem 4 pessoas.
Saindo da Rua do Porto, bem em frente, há um parque com lago e pedalinhos. Os moradores da cidade frequentam bastante o espaço.
Uma dica é deixar o carro nos bolsões de estacionamento que ficam entre a Rua do Porto e o parque e ir para outros locais caminhando pelas margens do rio. A avenida possui ciclofaixa bem segura, então para quem gosta de bike, é uma mão na roda!
Caminhando pela avenida, chega-se à passarela estaiada. De lá é possível contemplar o rio. O acesso é livre.
Mais à frente, também com acesso livre, tem o parque do Engenho Central, uma das primeiras indústrias do nosso interior. As pessoas gostam de tirar fotos lá no meio do que sobrou do prédio. É uma viagem ao passado porque ali foi um dos principais pontos de produção de açúcar do estado e do País! Lá no parque tem a Casa do Artesão para quem gosta de artesanato!
Saindo do Engenho pela ponte pênsil, novamente ponto de contemplação do rio, chegamos ao Museu da Água. Que beleza! O local foi entregue à população piracicabana em 2000 e é ponto de parada obrigatória dos turistas. As quedas d’água que existem lá são lindas. Também há aquários com exemplares de peixes da Bacia do Rio Piracicaba, exposição de hidrômetros usados no passado, além de outras curiosidades. Vale a pena.
Mais à frente, tem o elevador panorâmico, onde é possível subir em um plataforma e enxergar lá do alto o rio e a cidade de Piracicaba.
Foto: Manuella Galhardo Ante Domenico (site da Secretaria de Turismo de Piracicaba)
 
Ah! também tem passeio de barco por ali. É só se informar e observar próximo ao rio que existem empresas que oferecem o serviço!
É isso aí! Piracicaba tem muito mais a oferecer, mas ficamos apenas uma tarde lá, então não deu para fazer muita coisa. O ideal seria passar um dia inteiro ou quem sabe se hospedar na cidade.
Deixamos stories destacados na página inicial do São Paulo Interior no Instagram. Corre lá para ver como foi!
Até mais, amigos!